.

.

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Na Rota dos diamantes...


mergulhadores explorando o "Poção"
                                                                                                                
                                                                                                        Texto e fotos: Paulo Tesserolli/Paulinho Dive Travel 


O brilho dos diamantes no fundo de um poço esquecido no coração de Minas Gerais, que atraiu há décadas um grupo de exploradores estrangeiros, aguçou a curiosidade de  uma  outra turma, desta vez de brasileiros fanáticos por aventura. Foram necessários dois meses de planejamento para organizar a “Expedição ao Lago Soberbo”, também chamado de Poção, a 20 km de Santana do Riacho na Serra do Cipó.

 - Belezas naturais no relevo acidentado da Serra do Cipó -





Há cerca de 50 anos, um homem sentiu-se rico depois de ter conseguido retirar  uma certa quantidade de diamantes das águas do Poção. Mas, por descuido, deixou que as pedras caíssem novamente no lago. Ao mergulhar de volta para buscar os diamantes, afogou-se. Para o povo da região, aquela teria sido uma morte soberba, nome pelo qual o lago passou a ser conhecido.
Ano mais tarde, vieram os estrangeiros, conforme explica Paulo Tesserolli , líder da expedição.

- Os estrangeiros passaram quatro anos garimpando e drenando o lago, em busca dos diamantes. Até que um dia, foram-se de vez, abandonando os equipamentos  e a trilha que leva ao poço, sem deixar qualquer explicação.

Mergulhadores experientes,  integrantes da expedição Paulinho Dive Travel  também exploraram as águas escuras do Lago do Soberbo. Formaram duas equipes, uma liderada por Alessandro Corrêa, e a outra   por  Paulo Tesserolli, ambos  também instrutores de mergulho.

- O mergulho no Poção é complexo, só para pessoas com experiência. Mas, para quem gosta de passeios em meio à natureza, a região é de extrema beleza, com desfiladeiros e cachoeiras com quedas de até 150 metros – conta Alessandro.

Cercado por morros de até 1300 metros de altitude e várias cachoeiras, o Poço de 100 metros quadrados, apresenta água fria ( 12 graus C )e escura com profundidade de até 15 metros. Seu fundo é coberto por pedras e areia que, quando garimpada, revela belíssimos cristais transparentes sextavados que aguçam a idéia de que diamantes ainda podem ser encontrados no local. 




Fauna e flora subaquáticas podem ser observadas somente com auxílio de lanternas devido a falta de luz solar em profundidades maiores. 
Tipos que adaptaram-se à falta de luz e desenvolveram características peculiares para sua sobrevivência na escuridão total, como algas,bagres e minúsculos invertebrados.


A única trilha de acesso entre Santana do Riacho e o Poço do Soberbo é a antiga estrada aberta pelos mineradores estrangeiros, hoje em estado muito precário de conservação. Por causa de erosões e de deslizamentos, o acesso é feito apenas por carros de tração nas quatro rodas ou em lombo de burro, com ajuda de um guia local. 


O período mais indicado para o passeio e o inverno, quando as chuvas são mais escassas.
Apesar do cansaço, do sol escaldante e dos mosquitos, o passeio até o Poção é gratificante pela beleza natural da Serra do Cipó onde, devido ao seu relevo, formaram-se vários cânions emoldurados por montanhas de rochas de quartzito. Um paraíso  ecológico cortado por riachos cristalinos que frequentemente desabam em quedas deslumbrantes. Um agradecimento especial a Paulinho Dive Travel que elaborou o projeto, a Landscape Off Road com os veículos e a todos integrantes da equipe. Show de Bolhas !




Nenhum comentário:

Postar um comentário